Friday, December 27, 2013

A dada altura, na minha adolescência, passei por uma fase menos boa da minha vida. Fiz os meus pais passar por alguns maus bocados, e fiz com que eu própria passasse por eles. Muitas pessoas tiveram conversas sérias comigo nessa altura. Queriam perceber o que se passava; queriam que eu visse que nem tudo era mau, que havia muitas coisas pelas quais eu devia estar grata. Guardo comigo grande parte dessas conversas, ainda que na altura não lhes tenha dado grande valor.
Muitas dessas conversas foram com os meus pais, que nessa altura disseram coisas mais acertadas do que o que eles podem imaginar. Numa dessas conversas alguém me disse: "Sabes, Inês, tu ainda não sabes, mas ainda não és a pessoa que vais ser. Os próximos dez anos da tua vão condicionar quem és nos restantes sessenta; se trabalhares nos próximos dez anos pelos teus objectivos, se estudares, se cultivares as amizades, se te regeres pelos valores que te ensinámos, a probabilidade de teres uma vida menos boa é baixa. Agora, se optares pelo caminho mais fácil, se achares que trabalhar não compensa, que é melhor ficar isolada do que ter amigos, daqui a uns anos vai ser mais difícil. A vida não é um sprint, é uma prova de fundo."

Os dez anos acabam mais ou menos por esta altura.

Hoje sou eu que digo a mim mesma: "O próximo ano da tua vida vai condicionar os restantes cinquenta. Por isso trabalha. Estuda, aplica-te, define um objectivo e trabalha para o atingir. Isto não é um sprint, é uma prova de fundo."

1 comment:

  1. Ola ines, boa sorte com isso.

    Abraço

    Pedro Ferreira.

    ReplyDelete